terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Atual diretoria da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) expõe seus clientes a riscos jurídicos por venda e uso de software pirata

Recebi um e-mail de Hayrton Rodrigues do Prado Filho, reproduzo.
Ao copiar sem autorização a base de dados de uma empresa que lhe prestava serviço, a diretoria atual da ABNT, formada por Pedro Buzatto Costa (muito conhecido pelo poder judiciário), presidente do Conselho Deliberativo, seu genro, Ricardo Fragoso, e Carlos Santos Amorim, com sua tropa, manteve até os erros gramaticais no seu produto pirata. O fato foi apontado pelo desembargador José Aparício Coelho Prado Neto, na decisão de segunda instância na qual condenou a ABNT a pagar indenização por danos materiais à Target por violação de direito autoral do programa. Vale lembrar que há mais de 14 anos, essa diretoria não faz outra coisa senão espalhar inverdades e nada faz pela normalização brasileira. Basta o leitor acompanhar isso nos artigos sobre os mandos e desmandos da atual diretoria da ABNT que eu escrevi.
Hayrton Rodrigues do Prado Filho, jornalista profissional registrado no Ministério do Trabalho e Previdência Social sob o nº 12.113 e no Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo sob o nº 6.008
Venda e uso de software pirata é ilegal!

O mercado da pirataria de software oferece uma diversidade de produtos com preços mais baixos, o que aumenta o interesse das pessoas por este tipo de mercadoria. Apesar de tentador, o que poucos sabem é que ao adquirir ou vender um produto falsificado, se torna um ato criminoso provocando grandes prejuízos à economia do país.

Qualquer espécie de falsificação se enquadra em crime, seja de forma direta ou indireta.

Dessa forma, muitas empresas brasileiras estão comprando ou já compraram os produtos ABNTNET, ABNTCATALOGO e/ou ABNTCOLEÇÃO, comercializados pela ABNT, e todos precisam saber que esse é um produto pirata. Deve ficar claro que todas as mercadorias produzidas ou comercializadas com violação de direitos serão necessariamente produtos de crime.

Em resumo, se o delito de receptação é caracterizado por crime contra o patrimônio, o ato de comprar uma mercadoria pirateada consiste em uma conduta criminosa, pois o produto adquirido infringe o patrimônio intelectual do seu titular, e assim, torna-se resultado de outro delito. Sendo assim, é importante alertar que independentemente de quem compra ou vende produtos desta origem, esta pessoa irá responder pelo ato de receptação, conforme art. 180 do Código Penal, que prevê pena de reclusão de até quatro anos.

A ABNT perdeu o processo em segunda instância, já que no dia 15 de março de 2016, em acórdão de pirataria de software, a justiça negou provimento aos recursos da ABNT e confirmou o ganho de causa para a Target. Em sua defesa, a diretoria da ABNT alega que possui um laudo feito pelo Instituto de Criminalística da Polícia Civil e que foi ignorado na decisão tomada pelo TJ-SP. Isso é balela, pois esse documento não faz parte dos autos do processo. Os laudos, um da esfera cível e outro da esfera criminal, que fazem parte do processo são extensos, possuem quase 300 páginas e apontam, detalhadamente, diversas similitudes nas bases de dados que não poderiam existir a não ser em caso de violação pela ABNT do software da Target. Mostra, inclusive, que a autora propositalmente adicionou ao seu banco de dados pequenos erros gramaticais e de digitação para verificação de eventual cópia, e que tais erros foram encontrados no banco de dados utilizado pela ABNT.

O laudo do Instituto de Criminalística de São Paulo, que a diretoria da ABNT apresenta para tentar ludibriar os incautos, não foi aceito pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, pois nunca fez parte do processo 0142175-04.2006.8.26.0100, não podendo ser considerado como prova de absolutamente nada. Trata-se de um papel sem valor, como qualquer outro que não esteja no processo judicial em questão.

Além disso, a sentença fixou a indenização, a ser liquidada, nos mesmos termos que as partes firmaram em contrato (Target e ABNT), só que para o programa da parceria, ou seja, as partes dividiam igualmente os lucros gerados com a comercialização do programa CIN (original da Target), e o farão também com os lucros gerados com a comercialização do programa da ABNT (Pirata), da notificação da violação até a data em que a ré deixou de disponibilizar a terceiros o referido programa pirateado.

Deve ser ressaltado que a condenação da ABNT foi classificada no mérito como pirataria de software, conforme Acórdão na 9ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo, em 15 de março de 2016, que confirmou, por unanimidade, decisão da 26ª vara cível da capital - SP. Essa decisão foi proferida pelo juiz Cesar Santos Peixoto em 31 de maio de 2010 e publicada no Diário Oficial de 02 de junho de 2010. Conforme ele, houve a utilização indevida, por parte da ABNT, do programa alvo de registro (software da Target para pesquisa, controle e atualização de normas técnicas), conferindo a exclusividade e prioridade.

Igualmente, ocorreu descumprimento, por parte da ABNT, da obrigação contratual convencionada (contrato Target/ABNT para uso do referido software pela ABNT). Aconteceu, também, a violação de senha de segurança de software da Target pela ABNT, apropriação indevida de dados pela ABNT e a utilização pela ABNT de programa de titularidade exclusiva da Target, mediante atualização e armazenamento dos dados.

Dessa forma, houve a condenação da ABNT no pagamento à Target da multa, com juros de mora de 12% ao ano e atualizados pelos índices da tabela judicial a partir de 14/11/2003, mais o preço da participação nos resultados decorrentes da comercialização da licença e do direito de uso (do software da Target ou de qualquer outro software que contenha qualquer parte do referido software), nos termos da cláusula 8 do contrato (entre Target e ABNT), apuradas em liquidação por perícia contábil, entre 14/11/2003 até a restituição/desinstalação do equipamento, extinguindo o processo com resolução do mérito, art. 269, I, do Código de Processo Civil.

Com relação à possibilidade de a Target comercializar as normas técnicas, a atual diretoria da ABNT volta a trazer informações inverídicas à população, uma vez que a referida ABNT não detém nenhum direito autoral sobre as referidas normas técnicas, que foram declaradas de domínio público pelo Justiça.

O acórdão proferido pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região, ao julgar a apelação da ABNT, na ação nº 2006.61.00.010071-0, oriunda da 21ª Vara Federal (1ª Instância), negou provimento e não só manteve intacta a sentença, como determinou, expressamente, que as normas brasileiras não são protegidas por direito autoral e que a ABNT não tem o direito de se apropriar das referidas normas brasileiras.

Inclusive, em relação ao acórdão, a ABNT apresentou dois embargos de declaração que foram rejeitados por unanimidade pela turma julgadora, fato que a ABNT omite do mercado e, ao contrário, induz o recebedor de suas justificações a interpretar que os referidos embargos lhes foram favoráveis. Mais uma mentira desse trio da diretoria da ABNT. Como já disse, basta o leitor acompanhar isso nos artigos sobre os mandos e desmandos da atual diretoria da ABNT que eu escrevi.

Hayrton Rodrigues do Prado Filho é jornalista profissional, editor da revista digital Banas Qualidade, editor do blog https://qualidadeonline.wordpress.com/ e membro da Academia Brasileira da Qualidade (ABQ) - hayrton@hayrtonprado.jor.br - (11) 991055304.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

A "crise" institucional foi também muito bem vinda pela "bancada das teles".



A maioria do populacho que fala em crise institucional, ignora que o brazil é um país criado por canalhas, governado por canalhas, julgado por canalhas e habitado, predominantemente, por canalhas.

Só eu estranho que processos que estavam perdidos nas gavetas do MP e do STF, misteriosamente surjam e começem a andar, justamente quando o congresso questiona as benesses e privilégios das máfias togadas do MP e do STF ou quando começamos a discutir leis para punir o abuso e o lawfare de juízes e promotores, que usam práticas "legais", que são claramente identificadas com as práticas fascistas ou destinadas a atender benefícios escusos?

Vamos à crise.

Ela foi bem planejada e executada. Quando Carmém Lúcia faz andar uma pizza que está sendo cozinhada entre o STF e o MP há, mais ou menos, 9 anos. O pontapé inicial foi dado.

Ainda no primeiro tempo, Marco Aurélio, com base nessa pizza que está saindo do forno, dá uma liminar, para derrubar o presidente do senado.

Duas coisas chamam a atenção, a primeira é a forma, uma decisão monocrática para retirar o presidente de outro poder constituído abre uma discussão sobre a legalidade do ato e permite todo tipo de interpretação e conjectura. O molho da crise foi derramado na pizza. A segunda é o efeito prático da decisão, o senado deve entrar em recesso nos próximos dias e, daqui pouquíssimas semanas, Renan deixará, naturalmente, a presidência do senado. O que torna o efeito prático da limiar nulo e prova que ela não era urgente ou necessária.

A imprensa logo entra no jogo, criando um clima de grave crise institucional, uma quase comoção nacional, quase (outro) golpe. Para aumentar o clima de "vale tudo", começa a divulgar as frases de efeito dos jogadores e os prevendo os próximos lances.

O efeito Orson Welles e o efeito "Guerra dos Mundos" é tão bem feito, que até a esquerda acredita e embarca nessa, começa a repetir incessantemente o mantra do "golpe dentro do golpe".

Segundo, o jogo de cena de Renan e da mesa diretora do senado.

Enquanto isso, os 40 mil imbecis que foram para as ruas domingo passado, se achando a maioria do populacho botocudo ou pelo menos seus representantes, acreditava que suas minifestações estavam sendo ouvidas e decidindo o jogo político, os mais patriotas se sentiam vingados pela decisão de Marco Aurélio.

Os analfabetos políticos das terras brasilis só ignoravam uma coisa, que o verdadeiro jogo estava sendo jogado nos bastidores. Nas reuniões do Aécio, do Temer e do Renan (que foram divulgadas), porque as que aconteciam entre os senadores, os membros do STF e os cúmplices do Temer, ficaram na camufla. Essas o populacho não poderia saber.

Deu no que deu, o senado vai esquecer o projeto que colocaria um controle mínimo nas ações dos neofascistas que infectam o judiciário e o ministério público; devem esquecer o que foi levantado sobre os privilégios e benesses pagas com o dinheiro dos nossos impostos, os juízes e a catrefa do ministério público continuariam onipoentes, "imexíveis" e os processos dos congressistas voltam para o forno.

Aí alguém pode lembrar que o título dessa postagem é: A "crise" institucional foi também muito bem vinda pela bancada das "teles".

Pois, foi só para colocar que a crise era tão séria, que os senadores da bancada das teles nem se abalou e continuou discutindo o projeto que nos coloca como reféns das empresas de telefonia e, de lambuja, doa R$ 19,9 bilhões em bens e estruturas construídas com o dinheiro de nossos impostos para os espanhóis, mexicanos e holandeses que são os donos da nossa telefonia fixa (Vivo, Oi e Claro), e que subornam uma penca de senadores e deputados.

Tudo com a conivência e cumplicidade do Temer e seus mafiosos associados.

Para saber mais:
Comissão do Senado aprova mudança de regras da telefonia fixa para autorização

http://www.opovo.com.br/noticias/economia/ae/2016/12/comissao-no-senado-aprova-projeto-de-lei-que-muda-concessao-na-telefon.html

http://br.reuters.com/article/internetNews/idBRKBN13V2Q6

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2016/12/1838916-comissao-do-senado-aprova-mudanca-de-regras-da-telefonia-fixa.shtml

http://www.valor.com.br/empresas/4798093/comissao-do-senado-aprova-mudanca-nas-teles-para-autorizadas

A nova sede do STF ou a sede que o STF merece







sábado, 19 de novembro de 2016

Yes, nos temos bananas, bananas "prá" dar e vender...

Vejo muitos comentários, postagens e até matérias de jornais, criticando a preocupação de algumas pessoas com as eleições americanas. Essas críticas ignoram que, para qualquer um que pensa sobre o planeta, que o presidente americano tem um papel fundamental e, talvez, o mais importante, já que chefia o país que manda no capitalismo mundial e, desde a II guerra mundial, foi responsável por começar grande parte dos conflitos armados, e alguns ainda estão por aí. 
Lembrem-se também dos acordos sobre as questões climáticas, uma decisão dos USA pode arrastar grande parte de suas colônias.Essas preocupações também incomodam os europeus por causa da NATO, do livre comércio, questões climáticas, direitos humanos. As questões militares e comerciais afetam muito o Japão e a Austrália, ainda mais em tempos de expansão chinesa.

Para o brazil há um problema adicional, a colonização cultural, política e econômica, que os brasileiros aceitaram, de bom grado, a partir da era Vargas. 
E isso se reflete nos malucos anti esquerda raivosos que, 30 anos depois, descobriram a guerra fria e recriaram a URSS e o perigo da invasão soviética na América do Sul. Estão rindo? Mas lembrem-se daquela advogada que tem síndrome de desenvolvimento neural e suas postagens sobre a invasão "soviética" ou da ignorante, que achou que a bandeira do Japão estilizada no mural do congresso, "era uma tentativa dos comunistas de mudar a bandeira do brazil". 
Elas são só malucas, e acho que são malucas perigosas, mas mais perigosos são os analfabetos e os disfuncionais que as seguem e replicam suas postagens e bobagens. Lembrem-se dos ideologizados raivosos da paulista, que são absolutamente aculturados e disfuncionais, ao ponto de irem se manifestar em apoio ao Trump. E olha que coisa similar é muito rara no outro lado do espectro político.

Precisamos considerar também que os grupos que elegeram Trump, existem aqui. Temos até filiais oficial da da Ku Klux Klan, dos skinheads e da supremacia branca. 
Até a religião que mais cresce nas terras brasilis é cria dos racistas do sul do USA no pós guerra de secessão, onde o ódio racial e o ressentimento social criou esse pentecostalismo ultra raivoso, racista, misógino, homofóbico. Uma prova clara que somos tão aculturados e ignorantes, é que até os grupos que são odiados por eles, aderem e se tornam "fieis" e "crentes".

Assim, desde que fomos oficialmente seduzidos e colonizados pelos USA, a partir do plano traçado pelo Office of the Coordinator of Inter-American Affairs (OCIAA), dirigido por Nelson
Rockefeller, muito do que afeta os americanos, acaba afetando os tupiniquins e os botocudos.
Para quem quiser (e souber), ler mais sobre  esse assunto, recomendo o livro "O IMPERIALISMO SEDUTOR: A AMERICANIZAÇÃO DO BRASIL NA ÉPOCA DA SEGUNDA GUERRA" de Antonio Pedro Tota. São Paulo : Companhia das Letras, 2000. 235 p.

Para quem tem dificuldade em textos maiores, pode ler esse artigo:
"SETE DE SETEMBRO A AMERICANIZACAO COMECOU COM VARGAS"
que saiu no Estadão   (http://miud.in/1HXy)


quinta-feira, 10 de novembro de 2016

As redes sociais permitiram que os idiotas da aldeia encontrassem seus pares





Vendo o programa do Bill Maher de alguns dias antes das eleições dos USA, vi uma colocação de Jennifer Granholm, a ex governadora de Michigan, que chamou a minha atenção, ela falou uma coisa até meio óbvia, mas verdadeira e preocupante, que o fenômeno Trump se deve, em parte, pela paranoia americana que criou uma teoria da conspiração contra a mídia "formal" (grandes jornais, revistas, etc.), a de que só serve aos interesses dos governos e aos próprios.

Sabemos que em vários meios de comunicação existe muita omissão e até distorções, seja nos de "chapa branca" ou nos de oposição. Mas ainda existem alguns mais confiáveis e, de qualquer modo, há bem menos mentiras, boatos e teorias conspiratórias nas mídias tradicionais do que nas redes sociais e na mídia alternativa. Mas mesmo assim, a maioria prefere acreditar numa fonte anônima do Facebook ou num blog com ideologia do que num jornal tradicional.

E a coisa vira uma bola de neve descendo uma encosta, ao invés de procurar as informações em qualquer fonte confiável e difundi-las, a maioria prefere replicar as bobagens das redes sociais, por mais absurdas que sejam. Assim vemos montagens grosseiras de fotos, mentiras, boatos, textos atribuídos à escritores, filósofos, etc., difundidas e discutidas como sendo uma teoria científica (que é diferente de teoria na linguagem coloquial).

Pior que para ser replicada, uma postagem não precisa de nada além de um título que atenda aos interesses, "convicções" ou crenças do "leitor".

Um "bom" título, será curtido e repassado automaticamente, centenas, as vezes milhares de vezes, sem confirmação, sem avaliação e, na maioria das vezes, sem que o conteúdo tenha sido lido.

Aí vê-se as coisas mais absurdas, como pessoas que se dizem de esquerda replicando postagens de fascistas raivosos e até de pretos difundindo textos de racistas declarados, sem que tenham lido o conteúdo ou verificado a fonte .

Se em política já é assim, onde todo mundo tem uma opinião sobre o que não entende e ódio ao que não conhece, e faz questão de não ler ou se informar sobre ele, imaginem quando os assuntos versam sobre ciências, seja qual ramo for, da biologia à astronomia. 

Aí, via de regra, vira uma discussão entre ignorantes ou com ignorantes. E quase sempre fica pior que discussão política, pois os crentes e os deistas querem que mitologia seja considerada uma opção ao conhecimento científico.

E quando eu digo que é uma discussão com ou entre ignorantes não é sarcasmo, ofensa, eufemismo ou semântica, é estatística. Para quem não sabe, 94 % da população brasileira é ignorante quando falamos de ciências. Acha que esse percentual está elevado? Então dê uma lida no Índice de Letramento Científico do brasileiro. Esse estudo identificou que apenas 6% da população das terras brasilis é proficiente nelas. 

Mas mesmo sendo analfabetos absolutos em conhecimento científico, todo mundo acha alguma coisa quando o assunto é ciências. Principalmente com a proliferação desses canais que deveriam ser de divulgação científica, mas que passam grande parte do seu tempo falando sobre ETs, sereias, pés grandes e similares.

Não é à toa que uma postagem sobre as "qualidades" do filtro de barro rolam em blogs, sítios peseudo científicos e, obviamente, pelo facebook já faz uns bons 2 ou 3 anos. Criando uma legião de analfabetos enganados que acreditam que ele filtra tudo, de fezes a metais pesados e produtos químicos. 

O problema que as pessoas ignorantes precisam acreditar em alguma coisa e necessitam de pessoas que tenham afinidade ou tenham o mesmo grau de analfabetismo e/ou ignorância e/ou crença. Mesmo que a prova contrária seja apresentada ou que a ciência digam o contrário.

Assim, as redes sociais não são apenas o paraíso onde os analfabetos em política ou os disfuncionais políticos podem difundir a sua ignorância (e na grande parte das vezes, seu ódio), mas também é um campo fértil para os anti vacinas, os pró homeopatias e todo o tipo de charlatanismo. E todos, sem exceção, sabem que vão agregar todo o tipo de seguidores e propagadores de suas bobagens.

Por isso, eu iria um pouco além do que disse Umberto Eco sobre as redes sociais. Elas não apenas deram voz a uma legião de idiotas da aldeia, mas permitiu que eles encontrassem seus pares e fizessem seguidores.

terça-feira, 8 de novembro de 2016

Vamos voltar

Estamos em atualização, em breve mais notícias, brigas e outros.
Nos aguardem!

terça-feira, 10 de abril de 2012

bancos mexicanos fecham contas da Igreja Universal

Por Paulo Lopes http://www.paulopes.com.br

Pelos menos três bancos que atuam no México —Banamex, Santander e Ixe — fecharam contas da Igreja Universal do Reino de Deus no ano passado, apor ter sido divulgado no Brasil a investigação do MPF (Ministério Público Federal) sobre o suposto envolvimento de Edir Macedo, fundador da denominação, em operações de lavagem de dinheiro.

O jornal Reforma publicou trecho de um comunicado do Banamex ao responsável pela conta da igreja afirmando que a decisão foi tomada em atenção aos interesses da instituição financeira.

Os três bancos fecharam cinco contas correntes e uma de investimento a prazo fixo da Universal. Não há informação sobre as contas em outros bancos. Aparentemente, a Universal está tendo dificuldade de operar no sistema financeiro mexicano.

Em setembro de 2011, a 2ª Vara Federal Criminal de São Paulo aceitou denúncia (acusação formal) do MPF contra Macedo sob a acusação de evasão de divisas e formação de quadrilha para lavagem de dinheiro.

Três outros integrantes da Universal figuram na denúncia: João Batista Ramos da Silva, presidente da Universal, Alba Maria Silva da Costa, diretora financeira, e o bispo Paulo Roberto Gomes da Conceição.

Com informação das agências.


Reprodução deste texto só poderá ser feita com o crédito e link da origem.

sábado, 24 de março de 2012

Uma associação que celebra milhares de anos, religião e picaretagem.

Nem todo religioso é ignorante, mas sem sombra de dúvida, todo o ignorante é religioso.

A coisa mais fácil do mundo é enganar os ignorantes, sedentos de respostas fáceis e simples. Essa é a razão de que em pleno século XXI, o populacho acredita e acha mais fácil entender as bobagens simplórias e mal intensionadas dos pastores.

Afinal, racionalismo necessita de uma certa cultura, conhecimento e até curiosidade, pois só a ignorância não gera dúvidas, assim como a religião.


Comentários Politicamente (In)Corretos

Essa reportágem, apesar de verdadeira, é só uma briga pelas mentes menos favorecidas e seus dízimos, pois foi feita pela TV de outro picareta, da universal do reino de deus.

O mundo só vai ser feliz (e racional), quando enforcar o último religioso nas tripas do último político, ou vive-versa, pois nesse caso, a ordem também não vai alterar o produto, a felicidade e o racionalismo.

terça-feira, 13 de março de 2012

Faça uma ligação contra o código florestal

Em apenas algumas horas, a Câmara dos Deputados pode acelerar uma reforma polêmica do nosso código florestal que provavelmente irá expor vastas extensões de florestas preciosas do Brasil ao desmatamento. Entretanto, uma enorme onda do poder do povo agora poderá atrasar a votação e virar a maré contra o projeto de lei.

O lobby ruralista está pressionando ferozmente para aprovar a lei às pressas. O novo código lhes daria até mesmo anistia pelo seu passado de desmatamento ilegal, incluindo o cancelamento de cerca de 200 milhões de reais em multas, e, ao mesmo tempo, carta branca para realizar a depreciação dos nossos recursos.

Temos apenas algumas horas antes de líderes de partidos importantes se reunirem com a Dilma para decidir se seguirão adiante com a votação essa semana. Vamos garantir que eles escutem um clamor ensurdecedor do povo. Se inundarmos suas linhas telefônicas com dezenas de milhares de ligações, poderemos persuadí-los a colocarem a natureza na frente do lucro a curto prazo e suspenderem a votação.

FAÇA UMA LIGAÇÃO

Ligue para esses números e deixe um comentário ao lado depois que fizer sua ligação:

Henrique Eduardo Lyra Alves
Líder do PMDB na Câmara dos Deputados
Telefone: (0xx61) 3215-5539

Jilmar Augustinho Tatto
Líder do PT na Câmara dos Deputados
Telefone: (0xx61) 3215-5548 ou (0xx61) 3215-9134

Sarney Filho
Líder do Partido Verde na Câmara dos Deputados
Telefone: (0xx61) 3215-5202

Aqui estão algumas sugestões do que falar quando você fizer sua ligação:
  • Estou bastante preocupado com o impacto devastador que o novo Código Florestal pode ter sobre as preciosas florestas do Brasil e peço ao Sr. que tome medidas para impedir ou adiar a votação do Código agendada para essa semana;
  • Qualquer reforma ao Código deve fortalecer a proteção do nosso meio ambiente e beneficiar a agricultura de pequena escala, em vez de grandes empresas do agro-negócio.
  • Também é crucial tomar medidas efetivas de aplicação da lei contra madeireiros ilegais e aumentar a proteção para ativistas de meio ambiente e trabalhadores que sofrem risco de violência e ameaças de morte.
  • Conto com o Sr. para colocar nosso meio ambiente e o futuro do Brasil acima de quaisquer interesses destrutivos de curto prazo, e rejeitar quaisquer tentativas futuras de enfraquecimento da proteção das nossas florestas.
Lembre-se de ser polido -- seremos mais convincentes se formos racionais e gentis. Se você não conseguir falar com ninguém, provavelmente significa que estamos congestionando as linhas telefônicas -- um bom sinal! Continue ligando!

A maioria dos gabinetes de governo funciona das 9:00 às 18:00 -- se não conseguir falar com ninguém, tente novamente no dia seguinte. Após sua ligação, publique um comentário à direita para compartilhar suas experiências com outros membros espalhados pelo país no live chat.

quinta-feira, 8 de março de 2012

Ratinho Jr. e o QI< 74

Mais de 5 mil pessoas curtem a página de Ratinho Jr. no facebook. 
Para quem não conhece, Ratinho Jr. é filho do Ratinho, aquele apresentador de TV iletrado que faz grande sucesso nas classes que tem o QI < 74.
Ratinho Jr. também é pré candidato a prefeito de Curitiba, pelo PSC, mais uma sigla entre as 29 partidos de aluguel existentes. 
O pai afirma também que ainda vai levar o filho à presidência da república. Imagino que se um dia essa massa de analfabetos funcionais eleger isso para a presidência da republica, o pai deve ganhar o ministério da educação, que deve ser fundido ao da ciência e tecnologia e ao da cultura.
Para o Roedor pai, a prefeitura de Curitiba é o primeiro passo e, tendo em vista a nível dos eleitores curitibanos, pode ser que leve.

Comentários Politicamente (IN)Corretos 

Cada vez mais me convenço que para o brazil chegar ao status de civilizado, tem duas alternativas, a guerra civil ou a peste negra, mas no ritmo que as coisas vão, acho que só a peste.

domingo, 4 de março de 2012

O leitor de jornal brasileiro não sabe ler e é mediocre

Alguém já se deu ao trabalho de ler os comentários dos "leitores", feitos em matérias ou mesmo colunas de  articulistas de jornais online? Um dia, quem sabe, faço até uma estatística. Mas uma olhada superficial, em especial de algumas matérias sobre ciências e política, tem-se a sensação (ou uma quase certeza), que o brasileiro médio é:
  • anti democrático, beirando o facismo;
  • um religioso dogmático e obscurantista;
  • ufanista, um tipo de rei terceiro mundista, que considera que a economia mundial depende da "riquesa" tupiniquim;
  • não conhecem história, apesar de volta e meia referirem-se a fatos que desconhecem ou só conhecem de maneira superficial, lendo manchetes de jornal ou artigos do Google;
  • são muito, mas muito tolerantes com corrupção, obviamente a feita pelo grupo com o qual simpatizam;
  • são mostruosamente iletrados e com um forte preconceito contra os que estudam mais ou estudam em escolas consideradas de melhor padrão, dá até para fazer uma analogia com os "rednecks", que chamam de esnobes qualquer pessoa que que tenha alguma cultura ou uma educação formal melhor e
  • deixam claro que nunca leram (quando sabem ler), um único livro além de Paulo Coelho, alguma coisa sobre anjos, Bruna Surfistinha e outros de auto-ajuda).
Como sugestão, peguem alguns artigos de Hélio Schwartsman, da Folha de São Paulo, que eu particularmente considero um dos melhores colunistas daquele jornal, os comentários que o populacho escreve, quando o assunto é ciências ou sobre religião, são assustadores e deprimentes.

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Um professor de tortura para as polícias do Brasil

Do jornal Zero Hora do RS (para assinantes)

Dezenas de instrutores estrangeiros ensinaram métodos de tortura às polícias da América do Sul, mas nenhum ficou tão célebre como o norte-americano Dan Mitrione. Quando foi sequestrado e morto, jornalistas internacionais acorreram ao Uruguai. Tema de filme (Estado de Sítio, de Costa-Gavras), o agente do governo norte-americano fez duas incursões secretas ao Estado, durante a ditadura, para ensinar a controlar e dissolver manifestações

Porto Alegre esteve no roteiro do policial Dan Mitrione, enviado pelos Estados Unidos para adestrar as forças de segurança do Brasil e do Uruguai, na década de 1960. Veio duas vezes à Capital, no verão e no inverno de 1964, procedente do Rio de Janeiro (sua base no país), para instruir policiais gaúchos sobre técnicas de controle de tumultos e dissolução de protestos, os quais já se anunciavam com a instauração da ditadura militar.

Daniel Anthony Mitrione passou à história como o especialista que amplificou os métodos de tortura contra prisioneiros políticos na América do Sul – por isso foi assassinado por guerrilheiros tupamaros, no Uruguai. Em Porto Alegre, pelo menos oficialmente, limitou-se a dar cursos sobre utilização de novos equipamentos para conter manifestações.

As duas visitas foram breves e secretas. A primeira ocorreu de 21 de janeiro a 1º de fevereiro de 1964, para um curso de 30 horas intitulado “Supervisão e operações de patrulhamento”. Retornou no mesmo ano, de 19 a 26 de junho, depois do golpe militar que derrubou o presidente João Goulart, para um curso de 25 horas sobre “Técnica de patrulhamento”. Dan Mitrione assinou os certificados como “professor”.

Atualmente aposentado, o delegado de Polícia Civil Epitácio Torres, 78 anos, serviu de intérprete a Dan Mitrione. Ex-professor de inglês na juventude, revela que traduziu aulas sobre o emprego de gás lacrimogêneo e de máscaras de proteção. Houve simulação prática, inclusive com duas barracas para refúgio dos que passavam mal.

– Notei que os policiais tratavam-no muito bem. Era sério e reservado – conta Torres.

Os cursos foram mais para a Guarda Civil do Estado, corporação que fazia policiamento ostensivo e foi extinta nos anos 60. Um dos alunos foi Valdevino Francisco da Silva, que criou e comandou o Grupo de Operações Especiais (GOE), a polícia de choque. Hoje com 79 anos, Valdevino lembra que recebeu orientações de Mitrione sobre como algemar um detido.

Eram algemas norte-americanas, da Smith & Wesson, que imobilizavam os punhos de um preso ao primeiro clique. Na época fiscal (equivalente ao posto de oficial) da Guarda Civil, Valdevino conserva uma fotografia em que Dan Mitrione demonstra, no próprio pupilo, como acionar o par de argolas com segurança.

Americano ensinou o uso de porretes

Outra lição que Valdevino e seus guardas civis tiveram foi sobre bastões, como usá-los para defesa e ataque. Por sugestão do Serviço de Segurança Pública dos Estados Unidos, que mandou Dan Mitrione e outros americanos ao Brasil, as polícias substituíram os cassetetes de borracha por longos porretes de madeira, considerados mais apropriados para dispersar multidões em caso de conflito.

Valdevino também define o instrutor americano como circunspecto, absolutamente compenetrado na sua tarefa. Não participava de eventuais brincadeiras entre os policiais, os óculos de aros grossos quadrados reforçavam o aspecto professoral.

– Não era comunicativo. Cumpriu a missão dele e foi embora – diz Valdevino, que se tornou comissário de Polícia com o fim da Guarda Civil.

Antes de partir, Dan Mitrione posou para uma foto, em frente ao Palácio da Polícia. Perfilou-se ao lado do chefe da Polícia Civil, Leo Guedes Etchegoyen (depois general de Exército), delegados, oficiais da Brigada Militar e fiscal da Guarda Civil. Fazia frio, os 11 integrantes da imagem se protegiam com sobretudos, echarpes e até chapéu. Então com 44 anos, o americano vestia um impermeável claro e segurava um rolo de papel na mão esquerda.

Comentários Politicamente (In)Corretos

Mais uma das razões porque os militares tem medo de verem os arquivos da ditadura abertos e se protegem atrás da auto-anistia

sábado, 18 de fevereiro de 2012

GOVERNO VIGIADO - Cruzada obscurantista

Do Jornal Zero Hora de 19 de fevereiro de 2012 para assinantes

GOVERNO VIGIADO

Cruzada obscurantista

É no mínimo constrangedor ver um governo refém de anacrônicas pregações religiosas. Por mais que temas como a legalização do aborto e o casamento homossexual ainda sejam tabus, é prudente que esse debate seja despido de convicções ideológicas ou crenças doutrinárias.

O Brasil é um país laico. Políticas de saúde pública e ações de combate ao preconceito e à violência não podem ser alvo de barganhas eleitorais. A bem da verdade, a raivosa reação da bancada evangélica às declarações do ministro Gilberto Carvalho esconde uma disputa pelo controle do voto dos fiéis. Ao exigir um pedido de perdão do ministro, os pastores do Congresso enviaram um recado ao governo: para obter o voto dos nossos seguidores, vocês terão de negociar conosco. Ou melhor, barganhar.

Não deixa de ser um paradoxo para o PT. Foi no governo Lula que a classe C, onde se concentra a maioria dos evangélicos, teve maior ascensão. E esse segmento já produziu estragos na eleição passada, quando Dilma Rousseff precisou corrigir o rumo da campanha para estancar a sangria de votos por causa da polêmica sobre aborto. Agora, a pregação se volta contra a candidatura de Fernando Haddad em São Paulo.

Prioridade número 1 do PT, a campanha de Haddad já começa a ser alvejada por ataques religiosos. Nesse quadro obscurantista, o pior é ver um ministro e candidaturas acuadas por uma bancada que tem entre seus líderes Anthony Garotinho, condenado por formação de quadrilha.

klecio.santos@gruporbs.com.br

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Isso é do L. F. VERISSIMO mesmo

Isso é do L. F. VERISSIMO mesmo e está publicada no jornal Jornal Zero Hora de Porto Alegre de hoje, 26/01/2012

L. F. VERISSIMO

Para o jornal Zero Hora (para assinantes)

  • Saudade do Ted Boy Marino

    Alguma coisa aconteceu no coração do Brasil quando acabaram com as lutas de “catch”. Elas eram um sucesso na TV e seus astros viajavam em caravanas pelo país, apresentando-se em ginásios e circos. As lutas não eram lutas, eram teatro. Não eram exatamente combinadas, mas seguiam um roteiro estabelecido e havia um acordo tácito de que ninguém sairia do ringue machucado, mesmo que saísse arremessado.

    O roteiro básico não variava: eram os bons contra os maus, e os bons sempre ganhavam. Ou só perdiam quando o adversário traiçoeiro recorria a um golpe especialmente baixo, sob uivos de raiva da plateia. E a reação da plateia fazia parte do teatro. Havia uma suspensão voluntária de descrença, e todos torciam pelo Bem contra o Mal – ou pelo bonito contra o feio, o esbelto contra o barrigudo, o correto contra o falso – com um fervor que não excluía a consciência de que era tudo encenação.

    Era fácil distinguir os bons e os maus. Os bons eram atletas como o Ted Boy Marino, caráter tão irretocável quanto os seus cabelos loiros, que lutava limpo. Os maus tinham nomes como Verdugo e Rasputim, e comportamento correspondente ao nome. Lembro de um Homem Montanha, que mais de uma vez derrubou o juiz junto com o adversário. E não havia um Tigre Paraguaio?

    Os bons geralmente começavam apanhando e, quando parecia que estavam liquidados e que o Mal triunfaria, vinha a eletrizante reação, durante a qual o inimigo pagava por todas as suas maldades. Humilhação e vingança, nada na história do teatro é tão antigo e tão eficaz. Nove entre 10 novelas de TV têm o mesmo enredo.

    Não sei se ainda fazem espetáculos de “catch” pelo interior do país. Hoje, na TV, o que se vê é o “ultimate fighting”, ou “mixed martial arts”, dois lutadores simbolizando nada trocando socos e pontapés sem simulação, quando não se engalfinham no chão como um bicho de duas costas e oito patas em convulsão. Nessas lutas não vale, exatamente, tudo – parece que esgoelar o outro e xingar a mãe não pode. Mas é o “catch” despido da fantasia, com sangue de verdade. Não há mais mocinho e vilão, apenas duas máquinas de brigar, brigando. Nem Ted Boy Marino nem Homem Montanha, apenas a violência em estado puro. Sei não, acho que empobrecemos.

Público do Blog em 26 de janeiro de 2012

Mais um "homem de deus"

Mais um caso de pedofilia envolvendo religiosos, agora entre os autodenominados evangélicos.

O que chama a atenção nesse caso é a recusa dos país das vítimas em acreditar nas crianças abusadas e na solidariedade desses ignorantes com o criminoso. A própria fuga do criminoso foi ocasionada pelo aviso do pai de uma das vítimas que avisou o pastor sobre a investigação (deveria ir preso como cúmplice).

Uma prova explícita que a crendice está associada a ignorância.

Ainda bem que, segundo minha empregada mórmom, estou condenado ao inferno, não vou ter contato com os homens de deus, hehehehe.

Pastor é acusado de abusar de 7 crianças

A credibilidade que o pastorauxiliar Geraldo Pereira Nunes, 69 anos, tinha entre fiéis da Assembleia de
 Deus, fez com que alguns pais não acreditassem no que seus filhos contavam. Ele é suspeito de, 
por meses,ter abusado sexualmente de crianças, de 9 e 10 anos, dentro do templo, enquanto os pais
estavam no culto. Precisou as filmagens do abuso, para que os pais acreditassem nos filhos. 
Quando soube que era investigado pela polícia, Geraldo fugiu, mas foi preso na sexta-feira, em 
Manaus (AM).
 
A delegada Maricy Mortágua Santineli, do Núcleo de Proteção à Crianças e Adolescentes Vítimas de 
Crimes (Nucria), explicou que a iniciativa da denúncia partiu de uma criança, de 10 anos. Ela tinha 
dúvidas se o que o religioso fazia era errado e descobriu que era
crime, ao pesquisar na internet e se informar com outras pessoas. Conversou com outras vítimas e, 
como sabiam que seria difícil de seus pais acreditarem no que elas estavam dizendo, decidiram filmar
o abuso,em outubro do ano passado. 
Geraldo fugiu pra Manaus.
 
O plano não deu certo e elas contaram aos pais, mas alguns não acreditaram. Outros conversaram 
com o pastor-coordenador da igreja, que colocou câmeras na secretaria da igreja. Duas crianças 
foram filmadas sendo abusadas pelo pedófilo e as imagens foram entregues ao Nucria em novembro. 
Segundo a polícia, não houve conjunção carnal em nenhuma delas. A delegada Maricy afirmou que as 
imagens mostram abusos estarrecedores, que não foram divulgados. A 12.ª Vara de Crimes Contra 
Criança e Adolescente decretou a prisão preventiva do suspeito em 13 de janeiro.
Geraldo é de Cuiabá (MT), mas vivia há 16 anos em Curitiba. Quando soube que era investigado, por 
uma carta que recebeu do pai de uma das vítimas, fugiu para São Paulo e, de lá, para Manaus, onde já
 estaria pregando em outra igreja. Ele foi preso às 11h de sexta-feira na casa de sua irmã. Agora o 
Nucria tenta a remoção do pastor para Curitiba, para ser interrogado. Ele foi indiciado por estupro de 
vulnerável, crime que dá entre 8 e 15 anos de prisão.
 
Distração era armadilha perversa
 
Do Paraná Online 
 
As crianças relataram à polícia que enquanto seus pais participavam do culto, Geraldo convidava os 
pequenos para passar o tempo no computador da secretaria. Ele fazia as crianças sentarem em seu 
colo e, enquanto se distraíam com os jogos, ou com os doces e dinheiro que ele dava, o homem 
passava as mãos pelo corpo e pelos órgãos genitais das crianças. 
 
A polícia tem registro de sete vítimas, um menino e seis meninas, mas não se sabe por quanto tempo 
as vítimas eram abusadas. Uma das meninas, por exemplo, há meses chegava em casa com dinheiro
e relatava aos pais que era o pastor que lhe dava os trocados. As crianças estão passando por 
acompanhamento psicológico, para evitar traumas e sequelas. 
Uma das seis meninas tem hoje 25 anos. Quando ela soube da investigação contra Geraldo, tomou 
coragem de ir ao Nucria e contar o que passou, quando tinha entre 10 e 12 anos. O pastor teria 
cometido com ela os mesmos abusos que as crianças descreveram.
 
Num depoimento muito emocionado, segundo a delegada Maricy, a jovem disse nunca ter tido 
coragem de relatar os abusos, pois sabia que ninguém ia acreditar nela. Aos 22 anos, ela contou à 
família, mas todos reprovaram a história, porque consideravam Geraldo um “homem de Deus”. 
Durante esses anos, a jovem passa por tratamento psicológico.
 
 
Comentários Politicamente (IN)Corretos
O mundo só vai ser feliz quando o último religioso for enforcado nas tripas do último político.
No brazil, para garantir, poderiamos queimar o que sobrar na gordura do último membro do judiciário.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Na Argentina, moradores se unem contra mineradoras, no brazil, destroem parques nac ionais por elas

Na Argentina, moradores fazem “resistência pacífica” contra exploração de ouro nos Andes

Manifestantes bloqueiam estrada há 22 dias; governo deu concessão a multinacional canadense
Acampados há 22 dias, os moradores de Famatina e Chilecito, cidades localizadas na província de La Rioja, no noroeste da Argentina, se revezam em barracas e dividem o chuveiro e o banheiro que foram montados com uma conexão improvisada de água. Em plena estrada de terra, bloqueiam o acesso ao morro Nevado de Famatina, localizado aos pés da Cordilheira dos Andes.
A medida, dizem os acampados, é uma “resistência pacífica” à assinatura de um convênio entre o governo de La Rioja e a multinacional canadense, e aos inícios das atividades de exploração de ouro e outros metais no morro Famatina.
A passagem somente é liberada para turistas e moradores da região. Funcionários do governo ou da empresa de mineradora Osisko Mining Corporation são barrados. “Esse é um movimento de toda a população. Toda a comunidade nos apóia, o prefeito, o padre, os clubes de futebol, as escolas e moradores”, disse ao Opera Mundi a professora de educação tecnológica Carolina Suffich, que participa do bloqueio.
“A mineração a céu aberto utiliza toneladas de cianureto, dinamites e um milhão de litros de água por dia. Perfuram e quebram glaciares que estão embaixo das pedras e contaminam o lençol freático, nossa fonte de água, porque moramos a apenas 20 quilômetros daqui”, afirmou Carolina.
Com uma altura de 6.250 metros acima do nível do mar, o morro é, há anos, cobiçado por empresas estrangeiras por suas jazidas minerais, o que deu aos moradores das cidades vizinhas à cordilheira experiência na luta pela preservação do patrimônio natural da região. As manifestações contra a atividade mineira chegam a reunir quatro mil pessoas, mais da metade da população de Famatina, de cerca de sete mil habitantes.
Governo mudou de posição
O manifestantes rejeitaram as declarações feitas nesta terça-feira (24/01) pelo governador de La Rioja, Luis Beder Herrera, de que a extração mineira em Famatina não provocará danos ao meio-ambiente. “A contaminação será zero, completamente nula, não tem possibilidade de que se permita nem muita, nem pouca”, garantiu, em uma coletiva de imprensa. Com opiniões pouco constantes no que diz respeito à mineração a céu aberto, Herrera, eleito pelo partido kirchnerista FPV (Frente para a Vitória), se manifestava contra o tipo de extração durante o conflito com a canadense Barrick Gold, quando ocupava o posto de vice-governador da província.
Já governador, o kirchnerista acabou revogando a lei anti-mineração que ele mesmo tinha impulsionado na legislatura provincial e criou uma empresa estatal que é, atualmente, o órgão encarregado de negociar os acordos com as multinacionais do setor. “Não vou ‘mariconear’ com isso [protestos contra a atividade mineira], vou tomar as decisões que nos permitam explorar a mineração e desenvolver a província”, afirmou, em dezembro, no ato de posse de segundo mandato como governador.


Comentário Politicamente (IN)correto

Lá como aqui, dá para notar que a grana e promessas já compraram o governador e os legisladores da província.

Aqui nem precisa, o governo se encarrega diretamente da negociação.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Porque não escrevo mais sobre falcatruas de juizes

Me mandaram um e-mail (quanto M), perguntando se estavamos com medo de continuar postando as falcatruas e picaretagens de juizes.

Resposta.

Não foi medo, tanto que o Montado num Porco continua tuitando - https://twitter.com/#!/MontadoNumPorco -  direto sobre a máfia togada, mas se continuassemos escrevendo tanto sobre esses picaretas, teríamos que contratar uma equipe enorme de blogueiros e viraríamos um blog policial.

Porto Alegre está ficando mais cinza e mais triste

Lembro de Porto Alegre ficando verde, na realidade, tenho a impressão que cresci com o verde da cidade, lembro da orla "pelada" do Guaíba, depois as árvores sendo plantadas e crescendo, virando o Parque Marinha do Brasil, lembro do "Parcão" sendo "arrumado" e a briga por causa do moinho holandês, dos embates ruas x árvores. Como seria a Protásio Alves se os engenheiros da prefeitura tivessem ganhado a briga e colocado abaixo as árvores (que ao invés de protegidas estão sendo gradativamente destruidas e servindo de sombra de estacionamento). 

Lembro da Redenção verde de verdade, com muito mais árvores e grama, (lembro dela também com bem menos lixo).

Agora, cada ano que visito Porto Alegre, vejo a cidade mais suja, o centro está imundo, me deprimi ver no que se transformou a Redenção, um monte de árvores moribundas em cima de lama e terra. As touceras de agaves, que formavam grandes redutos de aves, foram colocados abaixo com o argumento que serviam para abrigar "bandidos", para o barnabé é mais fácil derrubar e destruir que oferecer segurança.

Há alguns dias olhei alguns recortes de jornal, mostrando prédios que desapareceram entre a década de 60 e 70. A maioria com estilo neoclássico, alguns de função e engenharia impares, como a antiga oficina de bondes na João Pessoa e a estação ferroviária, de forma triangular, acho que na esquina da Voluntários da Pátria com o que é hoje o viaduto que leva a rodoviária.

O sobrevivente desse massacre foi o mercado, mesmo assim um dos prefeitos queria a todo custo derrubá-lo e colocar um "monumento moderno".  Claro que junto com os prédios, as praças perderam seus nacos,  acho que, em números absolutos, a redenção foi a que mais sofreu.

Parece que  tecnocracia que destruiu a história da cidade nos anos 60 voltou, só que não tendo mais história para destruir, o alvo agora é o "verde". A frase é correta, povo que não conhece sua história está fadado a repeti-la.

PS. acho que o grande trauma dessa gente é que Porto Alegre não tem uma das esculturas de Niemeyer, bonitas por fora e que por dentro não servem para nada. Quando se precisa usa-las, gasta-se mais nos consertos do que se gastou na construção, um rio de dinheiro, bem ao gosto da burrocracia perdulária e destruidora tupiniquim. 

PS 2. Imaginem essa gente administrando Paris, ou Bucareste? Na Grécia já teriam acabado com aquele monte de pedras velhas que chamam de Partenon, depois de muita enrolação e marketing, dariam a área para aquela construtora (cujos donos são testas de ferro da RBS), para que o local pudesse receber uma moderna e luxuosa torre e, na Italia, o Coliseu já teria ido abaixo e virado uma moderna "arena" para a copa.


Do Blog Os Verdes

Triste, por Ney Gastal 

 
 Porto Triste 
O atual prefeito de Porto Alegre, que se diz ligado no assunto "ecologia", parece ter ficado cego. Obcecado pelas eleições do fim do ano, já não liga para a cidade. Enquanto isto, os tecnocratas de plantão afiam e utilizam suas ferramentas.
Guilherme Socias Vilela (que na verdade era interventor) até hoje é lembrado na área ambiental, por Plantar árvores; Ajardinar praças; Criar parques, Arborizar ruas e avenidas, e por aí afora. Além de ter criado a SMAM, com a colaboração de Roberto Eduardo Xavier. Em seu tempo, Porto Alegre foi por vários anos a "cidade mais arborizada do Brasil". 
Hoje está longe disso, e no passo em que vai, corre célere a ocupar o último lugar. Depois dos exageros na "recuperação" da Praça da Alfândega, agora chegou a vez da Praça Otávio Rocha. Os tecnocratas de plantão dizem que "recuperar" uma praça é deixá-la igual a quando era quando foi inaugurada. 
Sugere-se que as próximas praças, quando inauguradas, tenham apenas plantas de plástico. Essas ficam sempre iguais. Não crescem, não mudam, mas também não vivem.
A sombra da Praça Otávio Rocha era um refúgio de pedestres muito utilizado nestes dias de calor. Mas o prefeito não sabe, pois não caminha mais como cidadão comum (como fazia) pelas ruas da cidade. Agora age como "otoridade", e só anda por aí em carro oficial, com ar refrigerado. Não curte mais a maravilha que é a sombra de uma árvore urbana. 
Ele, como Vilela, também não foi propriamente "eleito". Apenas virou prefeito porque Fogaça cometeu o mesmo erro de Tarso (antes dele) e traiu seus eleitores. Fogaça foi eleito com meu voto; me sinto responsável por seu suplente ter assumido.
Não considerei este risco quando depositei meu voto. Ou, pior, ainda acreditava que Fortunatti fosse sério. Ah, se arrependimento matasse... Porto Alegre não merecia isto.
Ney Gastal 
PS: Olhos atentos para a Praça Don Feliciano. Fica perto da Otávio Rocha e tem árvores belíssimas, daquelas que os tecnocratas adoram botar abaixo. Falando nisso, nestas horas onde anda o Ministério Público? 
Imagens: Blog do CEA

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

UFC e Michel Teló são a cara da chinelagem moderna

UFC e Michel Teló são a cara da chinelagem moderna

Postado por Juremir Machado em 16 de janeiro de 2012 - Cotidiano

Correio do Povo

UFC ou MMA é um esporte que faz sucesso no mundo inteiro.
Assim como Michel Teló.
O UFC é a velha Luta Livre.
O antigo Vale Tudo.
A arte de bater no outro.
É um bagulho tão anacrônico quanto tourada ou farra do boi.
Chamar um troço desses de esporte é avacalhar o esporte.
É só pancadaria mesmo.
Sempre houve gosto pela pancadaria e pelo sangue, da Roma antiga ao boxe.
A lei do mais forte.
Quem bate mais e mais rápido.
Serve só para estimular o gosto pela violência.
Sei, sei, a violência com regras, a violência ética, a violência disciplinada.
Papo furado. É grotesco.
Michel Teló precisa ir para o morro descobrir a criatividade e a autenticidade do samba.
Já o UFC não tem jeito mesmo.
Só serve para bordões rastaqueras como esse do Galvão Malueno, “gladiadores do novo milênio”.
Vai ver que tomou um soco e ficou, como diria Jean Baudrillard, com o “encéfalo esponjoso”.
Renovação do velho gosto por socos e pontapé na era do sofisticado “ai se eu te pego”, que é uma atualização de outras baixarias e chinelagens, como sempre tem, a chinelagem da estação, que é que tem?
Chinelagem é assim: não dá nada. Faz o esqueleto balançar.
Mas continua sendo chinelagem.
É sintoma de alguma coisa.
Por que só chinelagem e violência ganham o mundo com tanta rapidez?
Chinelagem, violência, autoajuda, esoterismo e sexo, muito sexo, sacanagem.
Assim troteia a humanidade.
Sem complexos, com resposta para tudo e de quatro.
Anderson Silva é o Michel Teló dos novos ringues.
Eterno retorno do primitivo como instinto animal.
Afinal, não passamos disso.
Embora sejamos mais irracionais e perigosos.
É como falar em arrogância das bicicletas.
Arrogância dos motoristas feridos em seus brios de donos das ruas.
Ou em definições jurídicas sobre flanelinhas.
Quem define o que é delito ou crime é a sociedade por meio dos seus representantes, os políticos.
Tudo é cultural.
Cada época com os seus crimes, seus heróis, seus reacionários e suas revistas Oia.
Enquanto a Argentina põe ex-ditador na cadeia, Porto Alegre confirma homenagem aos nossos em nomes de avenidas importantes, legitimando o arbítrio e fazendo de conta que tivemos uma “ditabranda”.
Tudo isso faz parte de um caldeirão, o caldeirão da baixaria.
Teló, se não fosse tão jovem, poderia ter emplacado o melô da ditadura: “Ai se eu te pego”.
Em inglês,, ouvi isso, ficou a própria chinelagem globalizada.
Delicious! Delicious!
Tudo justificado pela lei enunciada por Guy Debord, a Lei da Chinelagem: o que é bom aparece, o que aparece é bom.
Síndrome do fumante que não quer ser incomodado no seu hábito nojento.
Síndrome do infrator de trânsito que não quer ser flagrado pelo pardal.
Síndrome do motorista de camionetão brega que não quer ser atrapalhado pela bicileta.
Síndrome do conservador que não quer ser incomodado por movimentos sociais.
Síndrome do agrochato chamando de ecochato quem o impede de destruir tudo por mais grana.
Síndrome do bêbado que quer ter o direito de dirigir e atropelar alguém.
Síndrome da era do  “estupro consentido” na televisão, ao vivo.
Síndrome da lei de Gérson: sempre levar vantagem em tudo, certo?
Errado.
Delicious, delicious!
A moleza acabou.
O cerco vai continuar.